segunda-feira, 13 de junho de 2011

Cláudia Helena: a modelo rondonense admirada em todo o país


Por Cristiano Viteck

No início de março, os rondonenses que assistiam ao Domingão do Faustão foram surpreendidos ao verem na tela da televisão a imagem de uma mulher loira, alta, com marcantes olhos verdes e um sorriso impossível de passar despercebido. Era a estreia da modelo – nascida em Marechal Cândido Rondo – Cláudia Helena Swarowsky, no programa de Fausto Silva como apresentadora do merchandise, ao vivo e para todo o Brasil.

Filha de Maria Adelaide e Décio Swarowsky, a rondonense conta com uma trajetória bem sucedida como modelo, marcada por uma longa lista de desfiles pelas principais passarelas dos grandes centros de moda ao redor do mundo, por campanhas publicitárias de marcas famosas e ensaios fotográficos para revistas importantes de moda, tanto no Brasil como no exterior. E quem puxar pela memória, deve ter na lembrança comerciais que foram ao ar em todos os canais de televisão do país, como o das sandálias Havaianas (ao lado do apresentador Luciano Huck) e da Motorola (com o ex-tenista Gustavo “Guga” Kuerten).

Também bastante significativo foi o trabalho dela como Barbie, na personificação da famosa boneca e que rendeu a gravação de um CD e participações em diversos programas de TV –como Eliana e Serginho Groisman –, além fazer shows pelo país. Conforme a rondonense, este “foi um projeto muito legal. Eu sou apaixonada por crianças e a gente teve que ter esse conato com elas. Foi muito prazeroso de fazer”.

Início

Curioso nessa história toda é que Cláudia Helena nunca teve aquele grande sonho de ser modelo, comum em muitos adolescentes. Ela conta que foi mais por insistência de uma tia que se inscreveu em um concurso de novas modelos da agência Elite. Resumindo a história, ficou entre as finalistas, assinou o contrato com a agência e estreou muito bem na carreira de modelo profissional, fazendo uma capa da revista Capricho ao lado do ator Rodrigo Santoro. Depois, seguiram-se muitas viagens a trabalho para diversos países (tanto é que hoje Cláudia Helena é fluente em inglês, espanhol e ainda aprendeu um pouco de francês). E mesmo com a agenda cheia, é preciso dizer que ela conseguiu conciliar a carreira profissional com os estudos: não só terminou o ensino médio, como também se graduou em Direito, pela Unioeste.

Inclusive, Cláudia Helena acreditava que este ano daria uma diminuída no ritmo da carreira de modelo para se dedicar à advocacia. Mas, com a nova oportunidade de trabalhar no Domingão do Faustão, o sonho dela de ser chamada de Dra. Cláudia Helena Swarowsky e de atuar como advogada acabou adiado. Mas, ela não se queixa e diz que está muito feliz com essa nova fase da carreira e também não poupa elogios ao apresentador e a toda a equipe do Domingão do Faustão. “A minha carreira de modelo continua. Durante a semana faço os trabalhos e as viagens e nos finais de semana trabalho no Domingão do Faustão, que é praticamente sempre ao vivo. Está bastante corrido, mas está dando tudo certo”, afirma.

Trabalhar como modelo

Com toda a experiência de modelo internacional que possui, Cláudia Helena sente-se à vontade para dar algumas dicas para quem quer se dedicar à carreira. “A região é um celeiro de meninas e meninos bonitos. Os adolescentes que têm esse sonho precisam acreditar. Se gosta, tem que insistir, ter perseverança e correr atrás”, afirma.

Ela explica que a idade em que geralmente as pessoas começam nessa carreira é com 14 ou 15 anos. “Mas, isso não quer dizer que não possa iniciar com 20, 21 anos. Quem quiser terminar a escola, pode estudar sem pressa. Os trabalhos é que são um pouco diferentes. Se você tem menos altura, pode trabalhar mais como modelo comercial, fazendo publicidade para catálogos e revistas tranquilamente. Nos trabalhos chamados fashion, que são os desfiles, as revistas de moda, é que precisa ser um pouco mais alto. Na passarela, são mais procuradas as meninas super magras e bastante novas. Se você observar, são poucas as que com 28, 30 anos em diante que fazem desfiles. Hoje eu faço muito mais publicidade e fotos e antes era o contrário”.

Mercado

São Paulo é o principal centro de moda do país. Lá, Cláudia Helena diz que existem ótimas agências de modelo: “hoje está bem mais fácil o acesso. Cada dia as agências estão atrás de novos talentos”. A rondonense ainda comenta que o mercado de moda brasileiro de hoje é bem diferente de quando ela iniciou a carreira, há cerca de 15 anos. Ela diz que na época o mercado internacional de moda não era o mesmo e que o mercado brasileiro era mais limitado ainda.

Hoje é diferente. “A moda brasileira teve um crescimento excepcional, tanto que agora o país faz parte do calendário mundial da moda. A São Paulo Fashion Week traz ótimo fotógrafos, produtores, revistas. Além do país exportar modelos, também existem grifes brasileiras com lojas em Nova York, Paris. Coisa que 15 anos atrás ninguém imaginaria. O Brasil realmente tem crescido muito na moda e não só em quantidade, mas na qualidade das marcas”.

Cláudia Helena lembra ainda que quando começou a trabalhar como modelo, sempre viajou muito acompanhada da mãe, por ter certo receio da profissão e não haver praticamente modelos na região com quem pudesse buscar mais informações sobre esse mercado de trabalho. Desfeita a desconfiança, hoje Cláudia Helena explica que tudo é muito profissional nesta área, desde que se opte por trabalhar com pessoas que realmente se dedicam e levam bastante a sério essa atividade.

Se o receio ficou no passado, Cláudia Helena nunca deixou pra trás um forte recato na hora de escolher ou não por fazer um trabalho. “Eu sempre tive uma certa forma de caretice com esse negócio de transparência. De certa forma isso me limitou bastante. Mas, isso é uma opção minha e não aconselho ninguém a ser ou não ser assim também. Deixei de fazer trabalhos que teriam sido muito bons profissionalmente, mas pessoalmente talvez hoje eu não estaria feliz comigo se tivesse feito”, pondera.

Perguntada se nos seus planos está seguir uma carreira na televisão como atriz, a exemplo de tantas outras modelos que seguiram para esse ramo, com a toda a sua simpatia Cláudia Helena logo descarta a possibilidade: “acho que essa não é minha praia. É uma profissão linda, gostaria de ter o dom. Mas, prefiro só ficar assistindo”.

---
Texto publicado na edição nº 100 da Revista Região, de junho/2011.

3 comentários:

  1. Olá, amigos rondonenses!
    Parece que foi ontem quando a mãe da Cláudia veio ao Colégio Rui Barbosa e solicitou dispensa da aluna cláudia, pois tinha um compromisso de desfile. Ela inclusive falou comigo o que eu achava dessa atividade artística. Claro, como professor de Literatura, a arte sempre ocupa um lugar destacado. A partir de então a Cláudia faltou mais vezes por causa de desfiles e assim iniciou a carreira dessa marvilhosa estudante. Lembro ainda que ela muito exigente com os seus textos. Sempre impecáveis com sua letra redondinha.
    Obrigado, prof. Canísio (Cana)

    ResponderExcluir
  2. Por favor corrija ai!! Rondoniense pra quem nasceu em rondonia e rondoniano pra quem é de fora e mora em rondonia.

    ResponderExcluir
  3. E rondonense para quem é natural de Marechal Cândido Rondon - PR, que é o caso da Cláudia...

    ResponderExcluir