quarta-feira, 1 de junho de 2011

Campanha anti-drogas compara mascote do Internacional a usuário de crack


Bem, ou quase isso. Na verdade, é o personagem Saci-Pererê criado pelo cartunista Ziraldo que foi usado sem a permissão dele (do Ziraldo, e não do Saci) para uma campanha informativa sobre os riscos de se consumir crack e oxi, esta a grande novidade no mercado de tóxicos – uma maravilha: mais barato, com maior poder de vício e uma capacidade absurda, dizem, de deixar ainda mais retardado o mentecapto que se acha esperto o bastante para usar uma porcaria dessas.

Distribuído pelo governo de São Paulo e produzido pelo Centro de Referência em Álcool, Tabaco e Outras Drogas, o panfleto da campanha tinha como título “O que era ruim ficou pior: diferenças entre crack e oxi”. Para ilustrá-lo, um desenho do Saci Pererê de Ziraldo, que foi tirado da internet. A justificativa da psicóloga que ajudou a bolar o panfleto, que foi distribuído na semana passada, é que o Saci, além de lhe faltar uma perna, também sempre está pitando um cachimbinho, digamos, um tanto quanto suspeito.

Uma triste coincidência com o simpático personagem do folclore brasileiro, já que os fumadores de crack e oxi também não largam seus cachimbinhos. Porém, os responsáveis pela campanha deviam ter percebido que, no fundo, os usuários dessas drogas diferem bastante do Saci, pois, ao invés de lhes faltarem uma perna, o que lhes falta mesmo é cérebro.

Voltando ao cartaz, enfim, o Governo de São Paulo achou que era uma grande sacada associar o Saci aos fumadores de crack (que, na gíria dos doidos de pedra, também se autodenominam “sacizeiros”). O Ziraldo ficou fulo da vida, exigiu que o material não fosse distribuído e proibiu a reprodução do seu Saci para esse tipo de finalidade. Já os fumadores de crack e oxi não estão nem aí pro panfleto, pro Ziraldo e pro Saci Pererê. Querem saber é se o bagulho é mesmo do bom e, se não for, azar de quem tá vendendo!

Quanto ao mascote do Internacional, caberiam aqui algumas piadas meio toscas sobre essa história de cachimbinho, drogas e o fato de um personagem sem uma perna ser símbolo de um time de futebol. Mas, já que minha noiva e meu sogro são torcedores do Internacional (família é coisa séria!) e tenho mais alguns amigos colorados, o melhor é ir terminando o texto o por aqui...

Nenhum comentário:

Postar um comentário