quinta-feira, 26 de maio de 2011

Diretor de Tropa de Elite vai fazer filme sobre violência na região


O site da Folha de S. Paulo divulgou na noite de ontem que José Padilha, diretor dos filmes Tropa de Elite 1 e 2, vai produzir um longametragem sobre a violência na tríplice fronteira entre o Brasil, Paraguai e Argentina. Segundo foi anunciado, o filme será em inglês e deve levar o nome de “Tri-Border”, o que indica que deverá ser uma produção bancada pela indústria de Hollywood.

Com fama internacional alcançada após o filme “Tropa de Elite”, que trazia como personagem principal o linha-dura Capitão Nascimento, interpretado por Wagner Moura e que popularizou o tal “pede pra sair!”, Padilha teria dito ao site da Hollywood Reporter que a nossa região concentra diversas organizações criminosas atuando, como "máfias italianas, chinesas e sérvias, traficantes bolivianos, colombianos e brasileiros, contrabandistas libaneses suspeitos de ajudar o Hamas e o Hezbollah, além de policiais e políticos corruptos do Brasil, do Paraguai e da Argentina". Como uma diversidade dessa, ele acredita que a região dá muito pano pra manga pra rodar o filme.

A Polícia Federal (PF) anunciou recentemente que, entre outras organizações criminosas, o PCC e o Comando Vermelho não só estão se aliando ao crime organizado do Paraguai, como também tem travado uma guerra pelo comando da fronteira, por onde passa grande quantidade de armas, produtos eletrônicos, cigarros e demais drogas, que acaba sendo comercializada no Brasil.

Ainda, segundo a própria PF, com informações divulgadas pelos grandes jornais brasileiros, as principais cidades paraguaias que serviriam de base de apoio às ações do PCC e ao Comando Vermelho seriam Salto del Guayrá, Ciudad del Leste e Capitan Bado, que propiciam acesso facilitado ao Brasil para os criminosos.

Apesar das autoridades terem conhecimento que a região é porta de entrada de produtos como drogas e armas que abastecem e fomentam a violência em grandes centros brasileiros, curiosamente há poucas semanas o governo federal anunciou que irá reduzir os investimentos em segurança nas fronteiras brasileiras. Um exemplo claro da falta de compromisso das autoridades responsáveis por coordenar as políticas de combate ao crime no Brasil.

Quem sabe, como filme de José Padilha mostrando ao mundo através do cinema como funciona a criminalidade porque aqui, as autoridades se sintam envergonhadas e um pouco mais motivadas a se esforçar um pouco mais para dar um basta à violência que transtorna a nossa vida real todos os dias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário