quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Pedro Bial estava errado


Lembra daquele famoso texto do Pedro Bial, chamado “Filtro Solar”? Não leu? Esqueceu?
Ele começa assim:

”Nunca deixem de usar filtro solar!
Se eu pudesse dar uma só dica sobre o futuro,seria esta: use filtro solar.Os benefícios a longo prazo do uso de filtro solar
estão provados e comprovados pela ciência;
(...)”


Então, Pedro Bial estava errado. Ou, pelo menos, errado em parte. Afirmo isso porque metade dos protetores solares mais vendidos no Brasil não fazem efeito, não prestam pra nada. A informação foi publicada esta semana no site do jornal Folha de S. Paulo, tendo como fonte estudo feito pelo Pro Teste, da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor.

Conforme as análises, dos dez mais vendidos protetores FPS (que deveriam proteger contra os raios UVB), somente dois cumprem o que prometem, ou seja, proteger a sua pele contra o sol. E para piorar, dos 10, sete apresentam em sua composição um ingrediente altamente cancerígeno (benzophenome-3), que é proibido em muito países, mas que no Brasil é usado livremente.

Diz a reportagem:

”O teste englobou a análise de rotulagem, composição, irritabilidade, hidratação, proteção, resistência a exposição solar e teste em uso. As marcas L'Oréal Solar Expertise e o Cenoura & Bronze foram consideradas as melhores.

O rótulo do Hélioblock da La Roche-Posay foi classificado como o pior, pois traz informações em uma etiqueta muito pequena, que dificulta a leitura, segundo a avaliação.

Apenas o L'Oréal Solar Expertise, Cenoura & Bronze e Natura indicam o fator de proteção UVA. Quatro dos protetores possuem proteção UVA baixa, no entanto, a legislação brasileira não exige um mínimo. Os raios UVA atingem as camadas mais profundas da pele e provocam envelhecimento precoce.

Após o levantamento, a Pro Teste pede que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) passe a exigir o fator UVA de no mínimo um terço do FPS do produto, assim como ocorre na Europa, e que esta informação conste no rótulo. Também são solicitados testes de fotoinstabilidade.

No teste de exposição do produto à radiação solar e ao calor, a Avon, Hélioblock, Nivea, Banana Boat e Sundown se mostraram fotoinstáveis e foram reprovadas, pois não mantêm nem 80% da proteção inicial após uma hora em uso a uma temperatura de 40ºC.

Ainda segundo o Pro Teste, após ficar 30 minutos na água, o banhista tem muitos motivos para se preocupar, já que produtos como o Fotoequilíbrio e Sundown, reduzem a proteção para 30% e 55%, respectivamente.

Além disso, todos os protetores foram considerados muito oleosos. E em relação aos preços, constatou-se que alguns protetores custam o dobro ou mais que os outros e têm eficácia menor.

Em excesso, a exposição ao sol pode trazer uma série de consequências à saúde, como velhice precoce, queimaduras e câncer de pele.”


É, mais uma vez levamos gato por lebre.

“Mas no filtro solar, acredite!”, disse Pedro Bial. Pra azar nosso, ele estava errado...


LEIA A REPORTAGEM NA ÍNTEGRA AQUI:
http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u660153.shtml

LEIA "FILTRO SOLAR" DE PEDRO BIAL AQUI:
http://letras.terra.com.br/pedro-bial/138161/

2 comentários:

  1. Nossa, bem interessante essa reportagem do filtro solar!!
    Mas aí como fazemos??? Em quem confiar, em qual produto??
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Melhor confiar nos horários em que se vai pro sol!!!

    ResponderExcluir